domingo, 27 de julho de 2008

Entrega do 20º Prêmio HQ MIX - Sesc Pompéia - 23/07 a 26/07 de 2008.

Primeiro Dia.
Saímos de Curitiba meia-noite, eu e o pessoal da Avenida - André, Wellington e Rui - além da mãe do André. Eles desembarcaram antes, pois ficariam na tia do André, Eva, que infelizmente não pude rever desta vez.
Eu desembarquei no Tietê mesmo, como de costume, e encontrei minha amiga Luca, que já me aguardava com seu amigo Tiago, ambos com tanto sono quanto eu, já que eram 6 e meia da matina.
Ela mora em São Bernardo e, teoricamente, deveríamos ter chegado na casa dela em 1 hora e pouco. No entanto, devido ao trânsito e ao fato de que, como já falei antes, São Paulo ter sido construída sobre uma dobra do espaço-tempo (o que ocasionou alguns desvios no caminho), só "atracamos" às 9 da manhã. Aqui vale a velha máxima, "a gente é pobre mas se diverte".
Enfim, mal fui apresentado à famosa cama da Barbie, onde a filha da Luca dorme, e nos apaixonamos. Desmaiei em poucos minutos, só acordando duas horas depois, revigorado.
Aí fui com Luca ao mercado e buscar a filha dela, Ana Clara, na escolinha. A menina é uma graça, já "enganchou" na minha mão e fomos conversando durante todo o caminho.
O Tiago logo acordou e "ajudou" a Luca a fazer o macarrão para o almoço (valeu, Luca, tava demais!!!) enquanto eu fiquei conversando com a Ana.
A menina, de 8 anos, me perguntou o que eu iria fazer no evento e no que respondi que iria vender gibi, ela mais do que rapidamente juntou uma pilha de revistinhas da Mônica e do Cebolinha, inocentemente afirmando:

- Tó, pra você vender lá.

Caí na gargalhada com essas e outras proferidas pela Aninha. Depois do almoço fiquei jogando um daqueles jogos de caixas com ela e acompanhei-a andando de patinete e me mostrando o condomínio onde moravam.
Ok, ok, quem está lendo isso deve estar mesmo interessado em como foi o HQMIX, mas eu não podia deixar de falar da Luca e de sua adorável filha depois de terem me acolhido, mesmo que brevemente, em sua morada.
Mas então vamos lá... partirmos de São Bernardo às 15 horas, chegando ao Sesc Pompéia pontualmente às 17. Já estavam lá o Edu Mendes e Nabu, da Garagem Hermética, e o Sérgio Chaves, da Café Espacial.
Logo vimos o Jal chegando e não demoraram para vir Will, Marcos Vencesláu e o putão do Daniel Esteves, com sua namorada Blenda. Gual, sua esposa Dani e a irmã dela chegaram juntos.
Para quem não sabe, Jal e Gual são os fundadores do Troféu HQMIX, e os membros mais antigos da comissão do prêmio.
Começamos a montar a banca do Quarto Mundo, com aquela infinidade de quadrinhos independentes, e aí a zona começou. Gente chegando querendo deixar as revistas, uma infinidade de bolsas espalhadas pelo chão, gente querendo comprar, banners sendo colocados e retirados, uma verdadeira correria e no que antes o relógio marcava 17, logo virou 19, horário previsto para início da cerimônia.
Alex Mir (Tempestade Cerebral), Roberta Bronzatto (Garagem Hermética) e o mais que famoso Cadu Simões (Homem-Grilo) estavam completamente ensandecidos já a essa hora e eu saí de perto, já que iria mais atrapalhar do que ajudar.
Então logo encontrei o Bira Dantas, Laudo e outros amigos, e fomos beber um pouco, para marcar o início do evento e colocar as fofocas em dia. Na ocasião, o grande Bira elogiou os textos deste Blog, afirmando que descrevo de forma hilariante as aventuras da Quadrinhópole nos eventos... hehehe. Valeu, Bira!!! Eu tento!
Enfim, a cerimônia atrasou em 1 hora, começando só as 20h, o que fez tudo ir se arrastando até pouco mais das 23 horas. Essa foi a principal reclamação de todos os que foram lá, pois o auditório, que a princípio estava cheio, no final tinha menos da metade da platéia. Pena, pois o evento em si é muito bacana... esperamos que não aconteça de novo nos próximos, para segurar o pessoal, que acaba dispersando, já que era tarde para quem trabalharia no dia seguinte.
Esse foi um dos motivos que levou Luca e Tiago a partirem mais cedo... não os vi mais depois disso.
Bem, logo no início da cerimônia foi exibido o Teaser Trailer do Insanidade que, como vocês já sabem, é baseado na Quadrinhópole # 6 e está com estréia marcada para o dia 02 DE AGOSTO aqui em Curitiba, no Cine Novo Batel. O pessoal que viu, gostou, e quem não viu ainda, pode conferir aqui:




Não vi a cerimônia toda, porque estava distribuindo o segundo informativo do Quarto Mundo (editado por mim e pelo Edu Mendes e diagramdo pelo Will) e a toda hora voltando na banca, mas vi o curta da Rê Bordosa, grande sensação do evento, e mais algumas apresentações e premiados. Fotos do evento estão disponíveis no Blog dos Quadrinhos (http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/).
Destaque fica por conta do amigo Cadu Simões, que ganhou como Roteirista Revelação. Foi um prazer perder pra ele nessa categoria!



Outros membros do QM, assim como eu, também levaram o troféu pra casa:

- Desenhista Revelação: Jozz (Zine Royale, Circo de Lucca);
- Publicação Independente de Autor: Menino-Caranguejo;
- Publicação Independente Especial: O Relógio Insano (Coleção Graffiti 100% quadrinhos);
- Publicação Independente de Bolso: Juke Box;
- Site de Autor: José Aguiar;
- Tese de Graduação: Na Bodega, de Gil Tokio;

Mais ou menos na metade da premiação foi a vez da Quadrinhópole subir no palco. Eu, André e Liber fomos receber o prêmio de Melhor Revista Independente de Grupo, pela quarta edição:




Também era para eu ter feito o discurso na hora que o Quarto Mundo subiu no palco, ganhando o prêmio de Contribuição do Ano ao Quadrinho Nacional, mas os viados não me chamaram na hora e acabou não dando o certo. Minha opinião é que o Cadu descobriu que íamos jogar ele pra cima lá na hora e me boicotou para que eu não desse a deixa... heh, heh, heh.

Bem, como eu disse antes, o evento acabou tarde e não demorou muito para nos expulsarem de lá. Socamos tudo no carro do Daniel e fomos para o bar da Pâmela, na mesma quadra da Livraria HQMIX, do Gual.
E lá sucederam-se as comemorações. Jozz, que acabou sendo "cortado" pelo Serginho Groisman na hora de receber o prêmio, fez o seu discurso lá. Eu aproveitei a deixa e também fiz o meu. Como eu já estava um pouquinho bêbado, não liguem para os palavrões:



Outros vídeos bacanas como esse (Gual falando das publicações independentes, a gente cantando parabéns para a Pamela e a opinião do futuro dos quadrinhos do Brasil, segundo alguns colegas do meio, dentre outros) vocês podem ver direto no blog do Quarto Mundo, http://www.4mundo.com/.

Mais uma vez fiquei na casa do Daniel... acho que os pais dele já não aguentam mais ver a minha cara lá... =D.

Segundo Dia.
Eu, Daniel e Blenda acordamos 10:30h na quinta. Esse dia foi complicado, pois as consequências da minha partida de Curitiba já começaram a aparecer com alguns telefonemas, já fiquei sabendo do serviço acumulado. Fiquei meio preocupado, mas não adiantava eu estar lá com a cabeça aqui, mas precisava recuperar os créditos do meu celular, que tinham acabado com 1 ligação e, sem eles, eu não receberia chamadas lá.
Pois bem, enquanto o Daniel foi na loja mandar fazer as camisetas da Nanquim Descartável # 2, eu fui até uma lotérica para comprar um cartão e, como de costume, comprei um de R$ 35,00. Não me ocorreu, na hora, que poderia haver diferença na hora de carregar os créditos por conta do DDD. Burro, né? Disquei a tal da senha e só dava "código inválido". Voltei na lotérica e reclamei, ao que o cara "gentilmente" falou que não aceitava devolução do cartão. Liguei na Vivo para tentar fazer o carregamento, mas eles insitiam que um cartão de São Paulo não carregaria créditos num celular de Curitiba. Ridículo, né? O mais legal é que não tem NENHUMA indicação disso no cartão. Acho que nem preciso dizer o quanto fiquei puto com a história toda, briguei um monte com o cidadão da Lotérica e com uns três atendentes da Vivo, que devem achar que eu tenho grana de sobra pra ficar jogando no lixo. Valeu, Vivo!!! Na hora de vender, vocês são uns amores, mas na hora de atender o cliente, é só desculpas...
Felizmente, mais tarde consegui vender o cartão para a Dani, esposa do Gual, que comprou-o para me ajudar, então acabei recuperando o dinheiro... mas fiquei o resto dos dias sem receber ligações.
Problemas à parte, logo estávamos novamente na HQMIX Livraria, onde estava acontecendo o lançamento do Zine Royale # 3 (Jozz) e da Graffiti 76% Quadrinhos (Piero, vindo diretamente de BH).
Antes do evento, porém, fizemos uma reunião do Quarto Mundo, o qual foi bastante proveitosa para resolver algumas questões que demorariam semanas para serem discutidas por e-mail na nossa lista. Várias pautas foram debatidas e que ajudarão o grupo em sua organização futura. Novidades em breve! Ao fim, Papito acabou saindo do grupo, por razões pessoais.
Após isso, seguimos com a bebedeira, novamente na Pâmela, e desta vez até ganhei um sanduba "extra"...

Terceiro Dia.
Sexta era o dia do lançamento da Nanquim Descartável # 2, Quadrinhópole # 7 e Avenida # 3 lá no Gual, novamente. Nesse dia acordamos mais tarde, eram passadas 11 da manhã, mas mal levantamos e fomos organizando as coisas... separando revistas, camisetas e outras coisas que tínhamos que levar lá na livraria à noite. Tivemos a idéia de oferecer um vinho para o pessoal, mas as taças lá da livraria estavam todas sujas, então levamos para a casa do Daniel para dar uma lavada.
Enquanto ele foi buscar as camisetas da Nanquim, fiquei lavando as taças e arrumando mais algumas coisas. Depois que ele chegou, carregamos o carro, ele deu mais umas ligadas, mandou mensagens no msn e e-mails para chamar público para nosso lançamento.
Logo chegaram dois dos desenhistas da revista e fomos para o Gual, comprando o vinho no caminho. Chegamos cedo, já que eu tinha que falar com Laudo sobre um novo projeto nosso (detalhes em breve). Aproveitamos que o Cadu levou a gravação da reunião do dia anterior e demos uma ouvida, já que "relembrar é viver".
Pessoal logo foi chegando e eu fui servindo o vinho. Fizemos uma promoção: quem comprasse as três revistas, ganharia um ticket para o sorteio de três camisetas. Duas vocês já conhecem do site da Quadrinhópole (a do Skrull e do Undeadman) e outra, claro, da Nanquim.
Vendemos bastante, todos nós, depois novamente fomos ao bar da Pâmela, que a essa altura já está sendo chamado de bar do Quarto Mundo. Ficamos um tempo lá e depois voltamos para a livraria, onde terminamos a noite conversando com o Gual e ouvindo histórias hilárias sobre os HQMIX anteriores. Impagável.
Nesse dia a Blenda "se chapou" de Coca-Cola e não queria dormir de jeito nenhum. Encarnou o Plínio (Dinossauro do Amazonas), querendo sair, conversar, ver filme, etc., tudo ao mesmo tempo. Eu e o Daniel lhe demos uma surra e ela dormiu, logo, nós dormimos também.

Quarto Dia.
Aqui batemos o recorde, acordamos 13 horas. Mal tomei café e banho, já arrumei as coisas para ir embora, pois apesar do meu ônibus sair meia-noite, daríamos uma passada no Anima Mundi.
Chegamos lá às 16 em ponto, compramos os ingressos e fomos assistir aos curtas de animação. Uns bem legais, outros nem tanto... e como que para não perder o costume, mais uma vez passamos no Gual, desta vez para o lançamento da Garagem Hermética # 4.
Antes, porém, fomos comer um bife à parmegiana no bar do Jorge, junto com os amigos do Daniel. Não sei se era a fome, mas estava bom pra kct! Os amigos do Daniel notaram os hematomas da Blenda e me lincharam.
Não deu tempo de ficar muito mais com o pessoal do QM, mas tomamos a saidera e logo o Daniel deixou eu, André e o Wellington no Tietê.
A essa altura eu já estava morto, e fui dormindo a viagem inteira, praticamente. Foi cansativo, mas valeu muito a pena, pois revi os amigos, conversamos sobre coisas importantes, demos risadas, a Quadrinhópole vendeu legal e já iniciamos o esquema de distribuição do QM (novidades sobre isso em breve, também).
Agradeço mais uma vez ao meu casal de namorados favorito, Daniel e Blenda, sem os quais as aventuras não teriam a menor graça, aos pais do Daniel por me aturarem mais uma vez, à Luca, Tiago e sua filha, pelas risadas, a Dani por ter comprado o cartão da Vivo e não ter me deixado no preju, ao Gual, por ser esse cara com um coração enorme que ele é, e a todos os amigos do Quarto Mundo, que está, verdadeiramente, revolucionando a história dos quadrinhos no Brasil.
Ainda há muito o que fazer, mas tenho fé que graças ao nosso empenho e à amizade que nos une, tudo vai dar certo. Valeu, galera, e até a próxima!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
BlogBlogs.Com.Br