segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Punisher: War Zone













A melhor adaptação do Justiceiro para o cinema ainda está longe de ser um filme bom. Não admira que siga os passos de seu predecessor e saia direto em DVD. É incrível. O vigilante matador de bandidos era para ser o personagem mais fácil de ser adaptado, mas parece que se tornou o mais difícil. Devido aos outros inúmeros filmes do gênero existentes hoje em dia, talvez? Quem sabe. Ao menos desta vez parece que houve um esforço maior em fazer do protagonista o mais fiel possível aos quadrinhos. E aí é onde reside os pontos bons do filme. Vamos a eles, então.
Punisher: War Zone (ou Justiceiro: Zona de Guerra, como deve ser traduzido por aqui) segue a mesma idéia do Hulk do Edward Norton: descarta o filme anterior, não fala praticamente nada da origem nesse filme e vai direto ao que interessa. Por mais estranho que pareça, isso foi um acerto da produção. A origem é contada em rápidos flashbacks da memória de Castle, como acontece nos quadrinhos. Nada mais justo, afinal, nunca vimos mesmo como aconteceu o massacre no Central Park, a não ser quando o Justiceiro se lembra ou algum outro personagem comenta. E além do mais, quem se importa? O que se quer ver num filme do Justiceiro é ele correndo atrás dos bandidos e matando todo mundo, certo?
Ainda sobre a origem, pela primeira vez reproduziram-na de forma fiel: Frank era um veterano das forças armadas que foi fazer um piquenique no Central Park com a família e eles acabaram presenciando uma execução da máfia. Os bandidos atiraram contra eles, só Frank sobreviveu e jurou... ah, o resto vocês já sabem.
Ponto também para o visual... tanto do Justiceiro quanto de seu antagonista, Retalho, já grande conhecido nas HQs. Nisso, o anti-herói está igualzinho às HQs... visual sombrio, mente perturbada, obsessão com a guerra ao extremo. E o Retalho ficou perfeito, sua aparência disforme que provocam nojo só de olhar. O Micro, fiel parceiro de Castle, também está lá, saído do gibi.
Para fechar os pontos bons, duas cenas: a da origem de Retalho, na qual deram uma boa exagerada com relação à origem dos quadrinhos, mas enfatiza o lado cruel do Justiceiro, que todos adoram ver, e a cena do impasse final, em que Frank tem que escolher se atira numa mulher e filha ou no Micro. Não vou contar como ele resolve o impasse pra não estragar a surpresa, mas achei a melhor cena do filme.
Pô, mas com tudo isso, o filme ainda é ruim, Bátimã? É. Bem, os diálogos são sofríveis, mas até aí, novamente... quem se importa? Só que Retalho e seu irmão, que compôem os vilões do filme, estão caricatos demais... não convecem como vilões de verdade. Tirando essa última cena mencionada, o filme não provoca nenhuma grande emoção, do começo ao fim. E a última cena deixa os fãs com vergonha de tão idiota.
Tá, mas e as lutas, e o sangue, e a carnificina? Estão lá, sim... mas são tão mal feitas que parecem produzidas para um Filme B. Talvez fosse essa mesmo a intenção, mas para um filme do Justiceiro, poderiam ter feito algo melhor, né? Sinceramente, esperava mais.
O primeiro Justiceiro, com Dolph Lundgren, não tinha nada a ver com o personagem. O novo, com Thomas Jane, pegou o fio da meada, mas deu uma descaracterizada... e as cenas de humor e os personagens engraçadinhos, a meu ver, estragaram o filme. Sem falar que John Travolta estava ridículo como vilão, mas o que valia o filme eram as referências aos quadrinhos.
Neste, eles acertaram o clima, foram mais fiéis ao personagem, mas a história continua fraquinha e cheia de falhas no roteiro. Exemplo: no começo da última sequência de ação, uns bandidos que estão do lado do Justiceiro entram no covil do Retalho, de boa, abrem as malas e começam a distribuir armas entre eles, e ninguém fala nada... a gangue do Retalho fica só olhando. De repente, começam a atirar e só então, a gangue do Retalho revida. Bandidos bonzinhos esses, né?
Bem, vamos esperar... quem sabe um dia, eles acertam. Penso que num próximo filme, seria o ideal ver o Castle na prisão, como aquela saga do Justiceiro Negro, hein?

Um comentário:

  1. Eu adoro o filme com Thomas Janes.

    O que ele fez com alguns dos bandidos foi ótimo.

    Porém, concordo que Travolta, como vilão não ficou legal.

    espero o novo chegar por aqui, para assistir.

    Legal seu blog.

    Abração

    Lucas Pimenta

    http://kenparker.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br