sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Watchmen vem aí, e salve-se quem puder...





















Com o recente fim da disputa judicial entre a Warner e a Fox pelos direitos do filme que adapta a HQ de Alan Moore e Dave Gibbons, os fãs dos quadrinhos desesperam-se de vez. Ao menos, aqueles mais ferrenhos defensores de que Watchmen jamais deveria ser adaptada para o cinema. Eu não costumo ser muito xiita. Das adaptações feitas com as obras do Alan Moore, gostei de Do Inferno, apesar de, claro, a HQ ser infinitamente superior. Também gostei de V de Vingança, apesar do romancezinho idiota entre o V e a Evey, a essência da obra estava toda lá, o mais fiel possível. Gostei até da Liga Extraordinária, pelo amor de Deus! Tá... talvez "gostei" seja uma palavra exagera, mas enfim... voltemos a Watchmen.Considerada por muitos a HQ definitiva sobre super-heróis, frequentemente aparece no topo da lista de melhores quadrinhos de todos os tempos, fruto de incontáveis estudos em cima da obra, dissecada de todas as formas. E por isso mesmo, considerado "território sagrado". Não vou me extender demais falando da obra pra quem, como eu, já deve ter lido uma meia dúzia de vezes, pelo menos. Mas acho importante que, quem nunca a viu e vá ao cinema só pra ver um filme divertido e com efeitos especiais muito legais, saiba do que estamos falando. Watchmen foi lançada originalmente na forma de uma mini-série em 12 edições e conta a história de alguns super-heróis "da vida real". À exceção do Dr. Manhattan, que sofreu um estranho acidente, nenhum dos heróis da série têm superpoderes. Cada um tem a sua motivação própria para se vestir de ridículo e sair por aí combatendo o crime. A história se passa na Guerra Fria e conta com duas gerações de vigilantes. Mas esse negócio de super-herói é apenas pano de fundo para algo muito maior, difícil até de explicar nessas poucas linhas. Quem nunca leu a obra, recomenda-se fortemente que vá atrás da mesma ANTES de ir pro cinema, quando sua opinião será contaminhada pelos holofotes hollywoodianos. Bem, nem preciso dizer que, desta vez, jogo no time dos xiitas. A complexidade de Watchmen jamais caberia em pouco mais de 2 horas... a meu ver, o filme estará mais ou menos no mesmo nível de V de Vingança: no máximo, "legal", mas muito aquém da obra original.

Um comentário:

  1. Cara, eu sou tão viciado nisso que tenho dois Watchmen: um bolo com as 12 edições em português e a versão Absolute importada em inglês. hehe
    Minha namorada tb me deu de presente a versão Ultimate Cut do dvd, mas fico triste de lembrar como o final foi broxante.

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br