quarta-feira, 26 de outubro de 2011

The Talisman - Iron Maiden



Aqui já falei de quadrinhos (óbvio), cinema, jogos e livros. Mas essa é a primeira vez que vou me atrever a falar de música. Nunca falo porque não sou especialista, não toco nenhum instrumento e muito menos quero dar uma de crítico. Mas essa música, em especial, merece uma atenção.
Trata-se de "The Talisman", do Iron, faixa de seu último disco, lançado em 2010.
Diga-se de passagem, o melhor CD dentre os 4 últimos da banda. TODAS as faixas são fodas. A princípio, tinha gostado bastante da última música, que fala sobre o fim do mundo e tem um verso bastante bonito no meio da letra:

He sees the picture on the wall, it's falling down
upside down
He sees a teardrop from his wife roll down her face,
saying Grace
Remember times they had, they flash right through his mind
left behind
All we laughed and spent together long ago
will be gone

Não é muito foda esse trecho? Quem quiser uma análise mais profunda dessa, eu indico o site http://minutohm.com/2010/08/18/desvendando-when-the-wild-wind-blows/. Não teria muito mais a acrescentar na análise desse cara, muito bem feita.

Mas enfim, ducaralho mesmo é The Talisman. Abaixo descrevo a letra e vou comentando:

When I stand and look
About the port
And contemplate my life, will I
Ever see my countrymen again?
As the captain calls us on the deck
I take my things and walk
To the harbourside, I glance back
One last time.

Fleeing our nation, our problems
We leave behind.
Ships by the tenfold sail
Out on the tide.
We are pleased to be out and
Embracing the open sea.
Free from our troubles
And more free from thee.

Inheritors unfulfilled reason
Behind us.
We flee from what is not what
Is will be.
We flee the earth and face our
Harsh reality.
Will death be low mist that
Hangs on the sea?

We run from the evil tongues, rash
Judgements, selfish men
Never to be seen on these
Shores again.
As we sail into oceansize
And lose sight of all land
A face of contentment
Around in the air.
We're off now to
Seek all our fortunes.
To the land of our dreams.

Essa introdução mostra um grupo de marinheiros fugindo de seus problemas, da sociedade podre, de todo o egoísmo e tudo o que há de mal, para abraçar o oceano em busca de uma nova terra e começar uma nova vida, livre destas mazelas. Eles estão esperançosos, fato que fica evidente em "A face of contentment around in the air".

Riding the waves and the storm
Is upon us.
The winds lash the sails but
The ropes keep them tight.

Off in the distance a dark cloud
Approaching.
None could imagine what there
Was to come.
No, there's no one going back.
No, there's not a second chance.
As we strap onto the side
We pray to God that we don't die.

Só que a jornada não será fácil. Eles não esperavam pela tormenta que se aproxima. As ondas ficam mais violentas, os ventos quase arrancam as velas e a nuvem negra fica cada vez mais próxima. Não há como voltar, não há segunda chance. O jeito é encarar. E rezar.

As we ride the rough seas,
As we soak from the ocean waves,
I just hope for all our lives
And pray that I survive.
Four ships are lost in the
Stormy conditions.
The spirits of the sunken crews,
Their phantoms follow us.

Spirits, sails, they drive us on
Through the all consuming waves.
Cold mortality, no weapon
Against these ever raging seas.

A tempestade começa, 4 navios são perdidos, os fantasmas dos companheiros os atormentam. Fria mortalidade, nenhuma arma contra os mares enfurecidos. Pense no desespero da tripulação ao ver seus pares morrendo e a fúria da tempestade ainda longe de acabar.

Four leagues and ten and we
Hit storms again.
We just can't get away from
The eye of the storm.
The birds outsoar the raging storm
But we cannot escape it.
Abandoned earth that we
Now crave
Is many leagues from safe.

Holding on for our dear lives
And we're praying once again.
Rotten luck or just jonahed?
The talisman is in my hand.

Limbs fatigues, trembling with cold.
Blinded from the sea spray salt.
Clasping anything we can hold.
Heaven's rain upon us falls.
Twenty days without a meal
And ten without fresh water still.
Those that didn't die in storms
The scurvy rest did slaughter.

Não há como escapar do olho da tempestade. A terra segura já está inalcançável e a eles, só resta segurarem no que puderem e rezar novamente. Os membros já cansados, todos cegos pelo sal do mar, chuva pesada cai sobre eles... o talismã está na mão de um deles.
Aqui, cabe um comentário sobre o tal talismã: numa pesquisada rápida, descobri que os marinheiros escandinavos tinham costume de carregar um talismã que lhes protegeria das tempestades. Parece que não foi o caso aqui.
Vinte dias sem uma refeição, dez sem água fresca. Aqueles que não morreram na tempestade, a fome trata de abater.

Westwards the tide.
Westwards we sail on.
Westwards the tide.
Sail by the talisman.

We approach the other side
Of the ocean with the tide
In our favour just for once.
Welcome greeting, our new land.
The elation in our hearts,
The excitement in our veins
As we sail towards the coastline
Of our golden promised land.

Depois de tanto sacrifício, finalmente é avistada uma nova terra. A excitação e empolgação os contamina, ao menos os sacrifícios não foram em vão. Eles chegaram na tão sonhada terra prometida.

Weary limbs fatigued away.
I have no life left in me.
No more strength and nothing
Left to give.
Must find the will to live.
Never thought that we could
Make it.
Truly sight of shores divine.
The sickness I am dying from.
Never wanted it to end this way.

Exausto, nosso protagonista já está à beira da morte. Sem força, sem nada mais para dar, tem que reencontrar a vontade de viver. "Nunca pensei que conseguiríamos. A doença pela qual estou morrendo... nunca quis que acabasse desse jeito..."

Westwards the tide.
Westwards we sail on.
Westwards the tide.
Sail by the talisman.

Sem dúvida, uma das letras mais fodas do Maiden de todos os tempos, se você for analisar. Há inúmeras interpretações. Poderia ser só uma aventura. Mas para mim, trata-se de uma jornada de expiação, de redenção. Você quer se livrar do mal, das coisas que te incomodam, dos problemas. Quer começar vida nova. Mas isso não virá sem dor, sem sacrifício, sem trabalho árduo. E às vezes, não adiantará se esforçar. Você terá que deixar o leme para o talismã... o barco sendo guiado apenas pela fé (não estou falando necessariamente de fé em Deus aqui)... e poderá acontecer de você chegar na terra prometida. Mas provavelmente estará tão cansado que terá de reencontrar a vontade de viver para poder aproveitar sua nova vida.

Um comentário:

  1. Acredito que seja uma referência à Descoberta da América, tudo se encaixa de acordo com a letra da música.

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br