terça-feira, 25 de setembro de 2012

Frases Clássicas dos filmes de James Bond

2012 é o ano do Bond. então, por que não comemorar seus 50 anos relembrando algumas das frases que se tornaram clássicas nos 20 primeiros filmes da franquia? Vamos lá?

- Dr. No:
"Bond. James Bond."

- From Russia with Love (Moscou contra 007):
"Ejectable seat? You're joking!" - Bond.
"I never joke about work, Double-0 Seven!" - Q.

- Goldfinger:
"Goldfinger, you expect me to talk?" - Bond.
"No, Mr. Bond, I expect you to die!". - Goldfinger.

- Thunderball (007 contra a Chantagem Atômica):
"SPECTRE is a dedicated fraternity whose strength lies in the absolute integrity of its members." - Blofeld.

- You only live twice (Com 007 só se vive duas vezes):
"That was stirred, not shaken?" - Bond.

- On Her Majesty Secret Service (007 a Serviço Secreto de sua Majestade):
"I bet this never happened with the other guy." - Bond.

- Diamonds Are Forever (Os Diamantes são Eternos):
"Refreshing to hear that there is one subject you're not an expert on!" - M.

- Live and Let Die (Viva e Deixe Morrer):
"What are you? Some kinda doomsday machine boy? Well WE got a cage strong enough to hold an animal like you here!" - Sheriff J.W. Pepper.

- The Man with the Golder Gun (007 contra o Homem com a Pistola de Ouro):
"A duel between titans... my golden gun against your Walther PPK." - Scaramanga.

- Spy who loved me (O Espião que me Amava):
"Which bullet has my name on it? The first or the last?" - Bond.

- Moonraker (007 contra o Foguete da Morte):
"Well, here's to us" - única fala de Jaws em seus dois filmes.

- For your eyes only (Somente para seus olhos):
"Oh, you want to get off?" - Bond, pouco antes de jogar Blofeld dentro da chaminé e acertar as contas com ele de uma vez por todas.

- Octopussy:
"Double-0 seven on an island populated exclusively by women? We won't see him till dawn!" - Q, em sua única missão em campo em toda a série.

- A View to a Kill (007 na Mira dos Assassinos):
"Somebody will take care of you." . - May Day.
"Oh, you'll see to that personally, won´t you?" - Bond.

- The Living Daylights (007 Marcado para a Morte):
"You've had your eight, now I have my eighty." - Brad Whitaker

- License to Kill (Permissão para Matar):
"Señor Bond, you got big cojones. You come here, to my place, without references, carrying a piece, throwing around a lot of money... but you should know something: nobody saw you come in, so nobody has to see you go out." - Sanchez.

- Goldeneye:
"Walther PPK, 7.65 millimeter. Only three men I know use such a gun. I believe I've killed two of them." - Valentin Dmitrovitch Zukovsky.

- Tomoroow Never Dies:
"The distance between insanity and genius is measured only by success" - Elliot Carver.

- The world is not Enough:
"I could have given you the world." - Elektra.
"The world is not enough." - Bond.
"Foolish sentiment." - Elektra.
"Family motto." - Bond.

- Die Another Day:
"My usual suite, please." - Bond.

Feliz aniversário, Bond!

DREDD


Ok, as comparações são inevitáveis, então vou começar com uma pergunta: Por que o filme do Stallone é tão ruim? Sério, eu gosto muito da história do filme: ela faz várias referências às HQs clássicas do personagem, vemos vários aspectos da ambientação no Universo do Juiz Dredd (diabos, até a Terra Amaldiçoada aparece no filme) e convenhamos, Stallone como Dredd está perfeito - ao menos até tirar o capacete. Temos a origem dele contada, bastante fiel às HQs, e a ideia de ele ser acusado injustamente é muito legal.
O que mata, na minha opinião, são alguns detalhes: o fato de aparecer o rosto do Stallone, as atuações (sobretudo a do vilão, caricato demais) e o pior de tudo: o personagem "cômico" de Rob Schneider que de engraçado não tem nada. Chega a ser ridículo.
Aliás, um adendo antes de falar do novo filme: acho que esse é o único caso de um jogo que foi adaptado do filme e ficou MELHOR do que o filme. Estou falando do jogo Judge Dredd para Mega Drive, que era MUITO legal e aproveitava a deixa do filme para colocar outros elementos das HQs, como os Juízes da Morte, inimigos mortais de Dredd nos quadrinhos.
Enfim, falando então do novo filme, curto e grosso: o filme é bom. Divertido, competente e bem fiel ao estilão das HQs. Logo no começo, parece que você está assistindo àqueles filmes de ação dos anos 80. Ah, que saudade! Hehehehe.
Só tenho ressalvas quanto a algumas coisas. Por exemplo, o ator me pareceu magrinho demais e, ao contrário do que alguns dizem, não achei sua voz convincente como Dredd. Mas isso passa. O que mais me incomodou foi o fato da história focar em apenas um prédio (ainda que um prédio de 200 andares) ao invés de explorar a ambientação que Mega City Um tinha a oferecer.
Mas tudo bem, o filme e bem despretensioso e violento, como um filme do Dredd deveria ser. E o fato de termos Anderson como parceira do Dredd deixa uma brecha para uma possível aparição do Juiz Death como um próximo antagonista. Embora, devido ao fracasso nas bilheterias, isso provavelmente não deve acontecer.
É uma pena... conheço pouco o personagem, devido às poucas HQs dele publicadas por aqui, mas ainda assim, sou fãzaço do Dredd. Suas histórias inspiraram toda uma geração de artistas e ele merecia uma franquia de sucesso no cinema.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

007 Legends: Última missão revelada

E não é que, conforme minha postagem anterior, eu acertei? Goldfinger!!!


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Breaking Bad - Temporada Final. Metade já foi, e agora?

Acabo de assistir ao oitavo episódio da quinta e última temporada de Breaking Bad. Agora a série só volta em Julho de 2013 para os oito episódios finais. É óbvio que, se você ainda não viu, melhor nem ler esse post.
Mas se você viu, deve estar tão ansioso quanto eu para a parte final desta que é, sem dúvida, a melhor série dramática da atualidade. Era bastante óbvio que eles iriam terminar com uma cena angustiante e não deu em outra. Hank finalmente descobre que Heisenberg, que ele vinha caçando há mais de 1 ano, é seu cunhado. Estava bem debaixo de seu nariz, debochando da cara dele, o tempo todo. E a pergunta que não quer calar agora é: o que vem agora?
Uma coisa que não me saiu da cabeça é aquela cena de abertura dessa temporada. E sabendo que o criador da série adora brincar com a narrativa desse jeito, colocando pequenos detalhes que parecem insignificantes na trama, mas que só depois você percebe a importância, eu acho que aquela cena é altamente relevante para o final da série.
Assista ela novamente e acompanhe comigo: ela fala MUITA coisa sobre o que se pode esperar. Primeiramente, é aniversário de Walter novamente, o que indica que se passou mais um ano desde que ele matou Gus Fring e assumiu seus negócios. Segundo, ele está barbudo e cabeludo, o que dá a entender que ele se curou do câncer. Porém, antes de sair do banheiro, ele toma remédios, o que deixa a dúvida: será que ele está plenamente curado?
Segundo: onde ele está? Ele usa uma identidade (falsa) de New Hampshire e a garçonete que lhe atende diz que ele está bem longe de casa. Ele afirma que são cerca de 30 horas de viagem. Bom, dê uma olhada no Google Maps e veja o tempo de viagem entre New Hampshire e Albuquerque, onde Walter mora. Dá pouco mais de 30 horas, ou seja: fica subentendido que ele ainda está em Albuquerque, ou nas redondezas.
E por fim, temos a "mercadoria" que ele compra: uma arma de grosso calibre e que lhe informa ao comprador que nunca deixará a cidade.
Aí vêm as perguntas: por que uma identidade falsa? Provavelmente, ele está fugindo: da polícia, dos bandidos (que com certeza não vão aceitar a "saída" dele do negócio) ou dos dois. E depois, para que ele quer aquela arma? Provavelmente, para atingir um alvo poderoso. Novamente: alguém da polícia (o próprio Hank?) ou um dos bandidos... a tal da Lydia ou o seu novo distribuidor de Phoenix.
Tem coisas que já não lhe surpreendem mais na série. Por exemplo, o fato dele ter ido encontrar Mike e ter dado cabo na vida dele, a essas alturas você já até espera por isso. Já me perdi na contagem de corpos que Walter teve que se livrar nessa sua louca empreitada. Ele se tornou um gênio do crime, totalmente sem escrúpulos. E se no começo ele fazia essas coisas por conta de sua família, nesse ponto o motivo já é outro. Eu não diria nem que é pelo dinheiro. É pelo próprio orgulho de Walter White, um professor de colégio fracassado que acabou se tornando um gângster de dar inveja a Don Corleone. Uma mudança radical, sem dúvida. Mas completamente plausível! Poderia acontecer com qualquer um!
Sim, tem coisas que já não nos surpreendem mais, apesar de não deixarem de ser impactantes. Mas honestamente, não sei o que esperar. Ele vai matar todo mundo e continuar no poder? Vai fugir? Vai morrer? Acho impossível de prever.
E será uma loooonga espera até Julho...

 
BlogBlogs.Com.Br